domingo, 24 de fevereiro de 2013

Vícios

Gente, que saudade de vocês, sei que vocês também sentiram a minha falta! (Ok, eu sei que vocês não sentiram saudades de mim, mas eu quero pensar que sim.)
Bom, depois de um tempo afastado daqui por vários motivos que não vale a pena citar, finalmente postarei um poema escrito em um dia desses, quando a inspiração resolve dar as caras na minha mente. Espero que vocês gostem. Prometo com dedinhos cruzados nas costas voltar a postar com mais frequência por aqui. ^^

Rodrigo Ferreira.
 


Tão belo és menino, tua aparência
Infla meu peito todo de vivência
Somente por te ver

Os pelos de meus braços se arrepiam
Os pés, para junto de ti, me guiam
Meu corpo quer te ter

Eu deixo me levar pela conversa
E nada mais no mundo me interessa
Estais a me entreter

Porém eu logo me desapaixono
Ao ver o que, ao corpo, faz o dono
Para meu desprazer

Abusas da bebida que te servem
E tuas doces palavras se perdem
Não posso te entender

Pela fumaça do cigarro amargo
Tua beleza some em cada trago
Tu queres te esconder?

Chamar tua atenção em nem me esforço
Pois esse corpo é teu, não será nosso
Para me entristecer

Do teu corpo só tu podes cuidar
Não sou quem escolhestes para amar
O que posso fazer?

Quem tu amas também tem esses vícios
Casal que compartilha malefícios
Não poderei vencer

Tão belo és menino, tua aparência
Destruída será na inconsciência
De, aos poucos, perecer.

Odisseu Castro.

3 comentários:

  1. (Como eu sempre te digo, Rod... É, aquilo mesmo.)
    Texto, de fato, muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Reveja alguns errinhos, fora isso, está liiiiiiiiiindo, adorei. :)

    ResponderExcluir